Um Dia, Uma Fotografia


Nesta foto está bem ilustrada por que razão vou encarnando pontualmente a "veia proustiana" de nostalgia do regresso ao meu longínquo passado. Tal como escrevi aqui em tempos, o passado será sempre presente quando recordámo-lo, sobretudo aquele passado aprazível que encerra marcas indeléveis que jamais conseguiremos extinguir da comunhão da memória. Quando lembro da minha feliz e saudosa infância em Bissau desperta-me sempre um sentimento de gozo indescritível (LER). É como um verdadeiro regresso ao "espírito do tempo". Uma momentânea redenção soteriológica que inunda o meu pobre ser.