Dias do Fim


O movimento anti-natalista é uma ideologia extremamente perigosíssima. Recentemente estive a conversar praticamente três horas com uma amiga da minha faculdade para não laquear as trompas. Mas, infelizmente, não consegui demovê-la deste maléfico intento. Ela estava bastante convicta e determinada a esterilizar-se. Justificava a sua decisão com auto-determinação, a incredulidade nos seres humanos, sobretudo nos homens, os parcos recursos existentes no mundo e a conservação do meio ambiente e os animais. Alias, os argumentos dela não diferem tanto com esta reportagem do "El Mundo" (LER)

Esta ideologia não vem de hoje. Em 1912, o iconoclasta português, J. Teixeira Junior, completamente rendido a mundividência jacobina, escrevia o seu livro intitulado "Mulheres, Não Procreeis!” onde apelava as mulheres a “não aumentardes o número de miseráveis”, exortando-lhes firmemente a "declarardes a gréve de ventres” (LER). Tudo isto para dizer que assistimos incomensuravelmente a uma séria adulteração dos Grandes Princípios e Valores Sociais, sem que nenhuma alternativa credível surgisse com suficiente consenso social para preencher o vazio das referências nas sociedades. Estamos mesmo a viver "sinais dos tempos", ou melhor, dias do fim (LER).